GESTÃO FINANCEIRA & PLANEJAMENTO

NOSSO OBJETIVO É ORGANIZAR AS INFORMAÇÕES FINANCEIRAS PARA QUE ESTEJAM CLARAS E VISÍVEIS PARA TOMADA DE DECISÕES.

Fluxo de Caixa: Entradas e Saídas Financeiras

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
A VPN is an essential component of IT security, whether you’re just starting a business or are already up and running. Most business interactions and transactions happen online and VPN

Em primeiro lugar, o fluxo de caixa é um dos pilares da gestão financeira de uma empresa, independentemente do segmento ou tamanho.

Isso porque é fundamental manter o controle entre as entradas e saídas, que permite ter uma visão detalhada da real situação financeira, e assim, direcionar melhor as tomadas de decisão.

Hoje em dia, ficou muito mais fácil fazer esses registros, inclusive existem vários softwares disponíveis que facilitam muito a organização das receitas e despesas.

Infelizmente, alguns empreendedores ainda não dão a devida importância a esse movimento financeiro, e é bem provável que estejam passando por alguns problema.

Portanto, vamos mostrar aqui qual a importância do fluxo de caixa, os tipos, para que serve e algumas dicas para fazer o seu.

Qual a importância do fluxo de caixa?

Antes de entender qual é a importância do fluxo de caixa, o que significa na prática?

É o registro das entradas e saídas financeiras, ou seja, todas as receitas e gastos em um determinado período.

E por que é importante?

Porque com base nesses registros, os gestores conseguem avaliar a real situação financeira da empresa, a viabilidade de investimentos, quais custos podem e devem ser reduzidos.

Há quem pense que a importância do fluxo de caixa se limita apenas a ter um maior controle das contas a pagar e receber, mais vai além.

Ajuda bastante no momento de planejar a gestão financeira futura, ou seja, pensar em estratégias para manter a saúde financeira da empresa.

E a partir do momento em que haja um maior controle, é bem provável que sobre mais dinheiro para investir, seja na contratação de funcionários, compra de equipamentos, ou até mesmo fazer algum tipo de aplicação.

Conheça os tipos de fluxo de caixa

Existem vários tipos de fluxo de caixa, desde para empresas menores até para quem tem uma maior movimentação financeira.

Veja quais os mais usados:

1.Fluxo de caixa simples

É indicado para empresas que não têm uma movimentação muito grande, inclusive pode ser usado para auxiliar no planejamento financeiro pessoal.

Resumidamente, você consegue registrar as entradas e saídas e visualizar contas a pagar e recebimentos.

2.Fluxo de caixa operacional

Nesse caso, é feito um levantamento de todos os gastos e receitas operacionais, isto é, todas as movimentações financeiras para garantir o funcionamento da empresa.

Por exemplo, pagamento de funcionários e compra de estoque.

Apenas lembrando que nesse tipo, não se registra investimentos nem as despesas com pagamento de taxas e impostos.

3.Fluxo de caixa livre

Tem a finalidade de avaliar a capacidade de gerar capital, projetando o saldo a curto, médio e longo prazo.

Dependendo do tipo de empresa, é aconselhável trabalhar com uma projeção mais curta e outra mais distante.

4.Fluxo de caixa direto

É um dos modelos mais usados, onde são registrados os recebimentos e pagamentos brutos, isto é, antes dos descontos.

Tem o diferencial por separar as movimentações por categorias, o que ajuda muito o gestor a ter uma visão mais ampla da saúde financeira, o que também direciona para uma melhor tomada de decisão.

5.Fluxo de caixa indireto

Já no fluxo de caixa indireto, a análise é feita com base no lucro ou prejuízo, de acordo com o DRE – Demonstrativo de Resultados do Exercício.

É chamado de indireto porque são fatores que interferem nos lucros, e não no caixa em si.

6.Fluxo de caixa projetado

Como o nome já diz, refere-se a uma projeção do negócio, e com base nas entradas e saídas, o gestor é capaz de fazer estimativas para o futuro.

Ajuda bastante no planejamento de pagamentos, identificar riscos e já se antecipar, planejar investimentos, etc.

Para que serve?

Basicamente, o fluxo de caixa serve para organizar as finanças, mas uma empresa só saberá se está ou não financeiramente saudável se fizer um controle de todo o dinheiro que sai e entra.

Além disso, ao acompanhar todas as movimentações, já tem uma ideia do que está acontecendo e se necessário, tomar decisões mais assertivas.

Muitas empresas que não contam com um fluxo de caixa, correm o sério risco de fechar suas portas, uma vez que não sabem nem quanto têm de saldo nem de capital de giro, que é essencial para manter a sobrevivência da empresa.

Veja outras utilidades:

  • Ajuda a decidir sobre a necessidade de contratar crédito para capital de giro;
  • Permite projetar a longo prazo, e assim, planejar melhor os pagamentos e recebimentos;
  • Melhora o monitoramento de recebimentos;
  • Comparar o desempenho da empresa em um determinado período.

Essas são apenas algumas utilidades do fluxo de caixa, sendo seu objetivo principal promover a saúde financeira da empresa, o que se reflete em maiores rendimentos e possibilidade de crescimento.

Dicas para montar um fluxo de caixa

Montar um fluxo de caixa é muito mais fácil do que você pode imaginar, mas a chave é ter disciplina para registrar diariamente todas as transações.

Então, confira algumas dicas para você montar o seu:

1.Registrar todas as entradas e saídas

Esse registro é o que vai garantir um fluxo de caixa eficaz, e lembrando que todas as despesas devem ser anotadas, inclusive o cafezinho na padaria.

Se é a primeira vez que você está fazendo, pode ser feito em um caderno, mas a dica é criar uma planilha no computador, pois fica mais organizado.

2.Detalhe as movimentações

Facilita muito detalhas as movimentações, pois assim você visualiza melhor para onde está indo o dinheiro, por exemplo:

  • Folha salarial;
  • Aluguel;
  • Água, luz, telefone, internet;
  • Compra de matéria-prima;
  • Gastos com limpeza;
  • Pagamento de impostos.

Dependendo do setor, é preciso registrar se os pagamentos são feitos em dinheiro, cartão de débito, crédito ou boleto.

3.Acompanhe diariamente

Não adianta montar um fluxo de caixa se você só verifica uma vez por semana.

É importante o acompanhamento diário, inclusive não se esquecer de registrar todos os dias.

Reserve uma hora do seu dia para fazer esse monitoramento e registro.

4.Use uma planilha ou software

Hoje, no mercado, você encontra vários softwares de fluxo de caixa, que facilitam muito o trabalho, pois são bem específicos.

Existem também as planilhas de Excel, onde é possível categorizar os gastos e receitas.

É importante escolher uma ferramenta que atenda às necessidades da sua empresa e que otimizem todo o processo.

Agora, para garantir uma boa gestão de fluxo de caixa, defina os resultados que você deseja alcançar, pois assim poderá direcionar suas ações para chegar aos resultados que deseja.

GFinanças

GFinanças

Leave a Replay

Assine nossa Newsletter

Fique tranquilo seu e-mail está 100% seguro, não enviamos spam!