GESTÃO FINANCEIRA & PLANEJAMENTO

NOSSO OBJETIVO É ORGANIZAR AS INFORMAÇÕES FINANCEIRAS PARA QUE ESTEJAM CLARAS E VISÍVEIS PARA TOMADA DE DECISÕES.

Qual a Diferença de Plano de Contas e Centro de Custos

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
A VPN is an essential component of IT security, whether you’re just starting a business or are already up and running. Most business interactions and transactions happen online and VPN

Em primeiro lugar, a chave para o sucesso de qualquer negócio está diretamente ligada à boa gestão financeira e claro, um planejamento bem estruturado.

E é aqui que entram duas ferramentas indispensáveis para qualquer empresa: o plano de contas e o centro de custos.

Embora sejam diferentes, são complementares, isto é, andam lado a lado.

Se você tem uma empresa, já deve conhecer e até mesmo aplicar no seu dia a dia, mas será que está fazendo corretamente? Está analisando todos os dados e não está se esquecendo de nada?

É justamente por isso que preparamos esse material, para que você entenda melhor os conceitos, como elaborar e assim, vai perceber a importância dessas ferramentas para a sua empresa.

O que é plano de contas?

De uma forma bem simples: o plano de contas é a lista de todas as contas que uma empresa possui, mas também inclui:

  • Contas a pagar e receber;
  • Folha salarial;
  • Impostos e taxas;
  • Serviços contábeis.

Ao examinar todas essas contas, o gestor consegue entender de forma mais clara as receitas e despesas, ou seja, a saúde financeira da empresa.

Com base no plano de contas, é possível ver quais despesas podem ser cortadas, quais melhorias podem ser feitas, etc.

Geralmente, é criado por um contador, mas nada impede que possa ser feito pelo setor financeiro da empresa ou pelo próprio dono.

A principal finalidade em elaborar um plano de contas é registrar todas as movimentações financeiras, patrimoniais e econômicas.

Confira, a seguir, quais os tipos de planos de contas mais usados pelas empresas.

Conheça os tipos de planos de contas

Apenas lembrando que o plano de contas é utilizado para categorizar as contas de uma organização.

Geralmente, existem dois planos mais usados: o plano de contas contábil e o plano de contas gerencial. Veja, agora, as características de cada um.

Plano de contas contábil

Como o nome já indica, precisa seguir as regras de Contabilidade. Por isso, existe um padrão, onde todos os dados são obtidos a partir de demonstrações contábeis.

Por exemplo, Demonstração do Fluxo de Caixa e Balanço Patrimonial.

Plano de contas gerencial

Já o plano de contas gerencial é criado de acordo com a estrutura de cada empresa.

Ajuda no momento de gerar relatórios financeiros, auxiliando na tomada de decisões.

Saiba que existem softwares que integram os dois planos de conta, o que otimiza muito os processos internos.

O que é centro de custos?

Basicamente, o principal objetivo do centro de custos é ter uma visão mais ampla das finanças da sua empresa, ajudando a entender o papel de cada setor nas receitas e despesas.

Além disso, facilita na tomada de decisão, principalmente no que se refere a corte de custos e investimentos em áreas com maior probabilidade de gerar lucro.

Então, é como se a empresa fosse repartida em partes, que seriam os centros, onde cada um tem seu próprio controle financeiro.

Vamos supor que a sua empresa produza calçados. Por exemplo, você poderia dividir em três centros: produção, vendas e marketing.

É claro que a quantidade de centros de custos vai depender do tamanho da empresa, e cabe ao gestor avaliar os dados de cada um a  fim de gerenciar melhor as finanças.

Ao setoriar a empresa, é possível visualizar melhor quais áreas podem ter despesas cortadas e quais precisam de mais investimento.

Centros de custo produtivo e não produtivo

Antes de saber como usar, é preciso entender que existem dois tipos de centro de custos: produtivo e não produtivo.

Os centros de custo produtivo são aqueles que estão diretamente ligados à entrada de recursos em uma empresa.

Um exemplo é o setor de vendas, pois influencia diretamente a geração de lucro.

Por outro lado, os centros de custo não produtivo, também chamados de indiretos, estão associados à área administrativa e de gestão, como o setor financeiro, de comunicação ou o jurídico.

Não geram lucro, mas é o que garante o funcionamento de toda a estrutura.

Como usar o centro de custos?

Você já percebeu como é importante implementar o centro de custos em uma empresa, pois você consegue avaliar quais gastos e receitas de cada setor, e a partir dos dados, traçar estratégias para investir de uma forma mais assertiva.

Então, separamos aqui um passo a passo para usar o centro de custos:

  • Separar a empresa por setores;
  • Listar todas as receitas e despesas de cada centro de custo;
  • Determinar quais gastam mais e quais geram lucro;
  • Distribuir as despesas e receitas entre os diversos centros.

Na verdade, alguns empreendedores sentem um pouco de dificuldade em estruturar os centros de custo, e existem alguns softwares que podem ajudar bastante.

Isso porque permite integrar as informações de todos os departamentos, que além de otimizar os processos, é prático e seguro.

Conheça as vantagens de elaborar o centro de custos

Se você ainda está em dúvida se vale ou não a pena adotar o centro de custos no seu negócio, veja algumas vantagens:

  • Empresa mais saudável financeiramente, uma vez que os setores desempenham suas funções adequadamente, refletindo em uma maior produtividade e lucratividade;
  • Distribuição mais racional dos investimentos;
  • Permite tomada de decisões a partir de informações confiáveis e concretas;
  • Análise financeira mais fácil, justamente por conta de cada centro de custo gerar seus próprios relatórios;
  • Resolução mais rápida de problemas, com base na avaliação dos gastos e receitas;
  • Cada setor é responsável por sua área, ou seja, cabe ao gestor de cada setor o andamento e controle das finanças.

Portanto, são muitos fatores que devem ser levados em consideração, e certamente, são muito vantajosos, independentemente do tamanho da empresa.

Por que o plano de contas e os centros de custos podem e devem ser usados em conjunto?

Principalmente por promover uma gestão financeira mais organizada, e integrados garantem a sustentabilidade financeira da empresa.

Enquanto o plano de contas apresenta uma visão mais ampla das receitas e despesas, o centro de custo permite um controle financeiro para cada setor da empresa.

E o ideal, realmente, é usar os dois!

GFinanças

GFinanças

Leave a Replay

Assine nossa Newsletter

Fique tranquilo seu e-mail está 100% seguro, não enviamos spam!